Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 2.4/5 (9 votos)

ONLINE
1

DOM ALBERTO: MEC Nº 247 de 22/03/2018 Publicada no D.O.U dia 22/03/2018.

FAVENI: Nº 2378, de 22 de agosto de 2002, Recredenciada pela Portaria nº 780, de 26 de junho de 2017 e credenciada pela portaria EAD: Portaria MEC Nº 1.010 de 20 de maio de 2019.

FACULDADE FUTURA: MEC Nº: 623 do dia 22 de julho de 2014. A mesma é devidamente recredenciada pelo MEC através da portaria n. º 868 de 12 de agosto de 2016.

ACB- ACADEMIA CIENTÍFICA DO BRASIL - CNPJ: 14.746.708/0001-09; Aprovado pela Instrução Normativa RFB nº 1.183, de 19 de agosto de 2011.

 

LIVRARIA JDSO CLIQUE AQUI

 

 

 


A AÇÃO DO COVID - 19 NO CORPO HUMANO

Conheçam nossos cursos de Pós-Graduação clicando aqui

Novas imagens mostram o coronavírus matando célula humana © Células humanas (em azul na foto) infectadas pelo coronavírus (pontos em vermelho). Crédito: Niaid Imagens divulgadas na semana passada pelo Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA (Niaid) mostram o vírus SARS-CoV-2, causador da Covid-19, em plena ação. Capturadas com um microscópio eletrônico de varredura, as imagens passaram por aprimoramento de cores no Niaid Integrated Research Facility. Acompanhe nossa cobertura sobre o coronavírus. Últimas notícias, perguntas e respostas e como se cuidar.

 

Conheçam nossos cursos de Pós-Graduação clicando aqui

 

Segundo o Niaid, as imagens mostram centenas de partículas do vírus SARS-CoV-2 (as minúsculas estruturas semelhantes a pontos) na superfície de células de um paciente americano, no momento em que estas entram em estado de apoptose (morte celular). Nas imagens, o SARS-CoV-2 aparece diminuto perto das células. O diâmetro de um coronavírus varia entre 120 e 160 nanômetros, o que o torna visível apenas com microscópios eletrônicos.

LEIA TAMBÉM: Até 5 de março, 54,8% dos casos importados de Covid-19 vieram da Itália • Curva epidêmica: como a matemática ajuda a conter o coronavírus • Cloroquina pode tratar o coronavírus? Confira © Fornecido por Revista Planeta Micrografia eletrônica de células VERO E6 (em azul) fortemente infectadas com partículas do SARS-CoV-2 (laranja). Crédito: Niaid

Conheçam nossos cursos de Pós-Graduação clicando aqui

 

O tamanho ínfimo não impede que esses microrganismos causem danos reais, como se pode constatar. Para infectar uma célula, os coronavírus usam sua proteína spike (região da estrutura do vírus que interage com as células e permite a entrada dele) para se ligar à membrana celular.

Uma vez dentro, o vírus sequestra o próprio mecanismo das células hospedeiras para se replicar, criando milhares de cópias de si mesmo.

 

 

© Fornecido por Revista Planeta À esquerda da imagem, célula apoptótica (em verde) fortemente infectada com partículas do vírus SARS-COV-2 (em púrpura). Crédito: Niaid Posteriormente, a célula hospedeira fica sobrecarregada e “se mata”, causando o transbordamento e a propagação do vírus para novas células. As imagens aqui apresentadas mostram essa fase.

Conheçam nossos cursos de Pós-Graduação clicando aqui